Entenda mais sobre o AMP: Accelerated Mobile Pages

Pessoa segurando ipad

“AMP”, abreviação de Accelerated Mobile Pages , é uma colaboração a nível mundial e de código aberto entre Google, editores, empresas de tecnologia e plataformas de publicidade para tornar a Web para dispositivos móveis mais rápida. Com a AMP, os editores podem criar conteúdo otimizado para dispositivos móveis uma vez e carregá-lo imediatamente em quase qualquer lugar. Para os leitores, isso significa entrega de conteúdo muito rápida nos dispositivos móveis deles.

Você reconhece uma AMP pelo símbolo de relâmpago em artigos encontrados na Pesquisa Google, no Google Notícias e no Google Play Banca. As páginas AMP também são exibidas no aplicativo do Bing para iOS e Android e em redes sociais como LinkedIn, Pinterest, Twitter (Moments), Medium, Feedly e em uma lista crescente de sites.

A necessidade de velocidade

A velocidade é o fator mais importante em dispositivos móveis. Páginas com carregamento lento não só frustram os leitores, como podem afastá-los: 53% das visitas a sites para dispositivos móveis não são concluídas se as páginas demorarem mais do que três segundos para carregar. No entanto, o tempo médio de carregamento de um site para dispositivos móveis por conexão 3G é de 19 segundos.

Páginas mais lentas também comprometem oportunidades de engajamento e monetização. Muitos fatores impactam a receita geral. No entanto, os editores cujos sites para dispositivos móveis carregam em cinco segundos podem ganhar até 2x mais receita com anúncios para dispositivos móveis do que aqueles cujos sites carregam em 19 segundos.*

*Com base na análise de 10 mil domínios da Web para dispositivos móveis e dados do Google Analytics.

Como a Accelered Mobile Pages beneficia a mídia

O Washington Post e muitas organizações de notícias respeitáveis ao redor do mundo já adotaram a AMP. O jornal melhorou os tempos de carregamento em 88% e aumentou a retenção de usuários a partir da pesquisa para dispositivos móveis em 23%.

Em média, as páginas AMP carregam 4x mais rápido do que as páginas não AMP e usam 10x menos dados. Isso significa que seus leitores recebem o conteúdo desejado rapidamente, com um tempo de carregamento médio de 0,7 segundos.

Visibilidade nos resultado de pesquisa

Juntamente com velocidades maiores, os editores podem esperar que suas páginas AMP apareçam nos resultados da Pesquisa Google em dispositivos móveis e em outros canais compatíveis com dispositivos móveis no Google Notícias, no app Google Notícias e Clima e no Google Play Banca.

Páginas AMP com uma marcação adequada estão qualificadas para exibição em um carrossel somente para AMP na Pesquisa. Seus artigos em AMP também podem ser exibidos no Google Notícias em um carrossel, com até 14 artigos e dentro de grupos de matérias. Estamos continuamente desenvolvendo mais canais para histórias em AMP.

Veja quem já está usando AMP

Lançado em 2015, o Projeto das AMP já atraiu muitas das plataformas de distribuição de conteúdo mais usadas e das organizações de notícias mais respeitadas do mundo. Como o projeto continua a crescer, prevemos que a iniciativa continuará melhorando e evoluindo, com anúncios avançados e análise em parceria com fornecedores de AMP.

Que tipo de conteúdo funciona na AMP?

O Projeto das Accelerated Mobile Pages (AMP) é uma iniciativa de código aberto que torna a Web para dispositivos móveis mais rápida para todos.

As AMP são ótimas para todos os tipos de conteúdo da Web, como notícias, receitas, filmes, páginas de produto, resenhas, vídeos, blogs, comércio eletrônico e muito mais. Não é tão útil para aplicativos de página única que usam muitos recursos dinâmicos ou interativos, como mapeamento de rotas, e-mail ou redes sociais.

Quando você começar a aprender sobre AMP, desejará ter respostas para dúvidas como:
• Que tipo de conteúdo que você produz?
• Como você publica seu conteúdo atualmente?
• Como você gera receita com seu conteúdo?
• Que análise você usa para rastrear o engajamento?

Como publicar suas páginas AMP

Dependendo do processo atual que você usa, a publicação em AMP pode ser tão simples quanto instalar um plug-in compatível com seu sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS, na sigla em inglês) para criá-las ou ajustar modelos para gerá-las.

Se você usar um pacote de CMS como o WordPress, verifique se ele está na lista de prestadores compatíveis na seção “CMS”, aqui.

Se você usar seu próprio CMS, veja o guia de primeiros passos:

Como gerar renda com seu conteúdo

Depois de descobrir como se integrar com seu CMS, você precisa determinar como seu conteúdo é rentabilizado e se a Accelered Mobile Pages é compatível com seu provedor de tecnologia de anúncios.

Muitos provedores famosos de tecnologia de anúncios já são compatíveis com AMP, incluindo Rubicon, DoubleClick e MOAT, entre outros.

Confira a lista de redes de anúncios e formatos de anúncios compatíveis aqui

O projeto das AMP também tem suporte para paywalls e assinaturas. Isso significa que você pode restringir ou minimizar o acesso às suas páginas AMP para pessoas que não são assinantes.

Análise e medição

Como você pode ver nesta lista, o formato Accelered Mobile Pages é compatível com muitos provedores de análise.

Você pode usar a análise para configurar vários elementos de captura de dados e a AMP gerencia toda a instrumentação para trazer os dados.

Para explorar a aplicação da análise em páginas AMP com mais detalhes, leia esta postagem do blog (em inglês).

Recursos para desenvolvedores

Como a AMP é uma colaboração de código aberto entre muitas empresas e plataformas de tecnologia, os desenvolvedores do seu site têm à disposição amplos recursos para serem explorados.

Para ver o código fonte HTML das AMP, além de outros exemplos e documentação, acesse o GitHub .

Para ouvir Malte Ubl, engenheiro sênior de software do Google, contar como a AMP atinge a velocidade pretendida, assista a este vídeo.

Todo conteúdo desse artigo foi extraído do site Google News Lab. Confiram a matéria no site oficial.

Leia também:

O que é Software como Serviço (SAAS)?
A importância da redação publicitária
Por que apostar na cocriação?